O menino que não gostava de ler, de Susanna Tamaro


Ficha técnica
TítuloO menino que não gostava de ler
Autora – Susanna Tamaro
Editora – Editorial Presença
Páginas – 40
Datas de leitura – 22 de março de 2017


Opinião
Não lia Susanna Tamaro há muito, muito tempo. Tenho em casa dois livros seus, um dos quais a sua obra mais conhecida – Vai onde te leva o coração. Não me considero uma admiradora acérrima desta autora, mas decidi ler O menino que não gostava de ler instigada pela obra infantil que li há umas semanas atrás e que também abordava a pouca vontade que um menino tinha de pegar num livro e mergulhar na sua história.
Mais uma vez socorri-me da biblioteca municipal e trouxe esta obra no saco onde vieram outras duas que entretanto já li. Deixei-a para o fim e foi uma decisão que não sei dizer se foi a mais acertada, pois perante as outras que me preencheram quase por completo, O menino que não gostava de ler não cumpriu. A premissa era suculenta – uma criança ainda não maculada pela leitura, pelo sabor de livros e narrativas, resistindo a ser contagiada por histórias que lhe dariam a possibilidade de viajar sem sair do seu cantinho. Uma criança cujos pais são leitores compulsivos. Uma criança que vive numa casa onde se tropeça em livros espalhados por todos os cantos.
Contudo, a viagem pelas 40 páginas que compõem esta obra foi não só rápida como igualmente desenxabida e algo incomodativa… Se eu, tal como Leopoldo, tivesse uns pais que tomassem posições extremistas e tentassem a todo o custo ver-me com um livro nas mãos, só porque eles assim o fazem e assim o querem, também eu muito provavelmente resistiria à leitura com todas as minhas forças e fugiria dos livros como uma criança foge de fazer algo que a obrigam todas as santas horas do dia. Também eu me sentiria incompreendida e tentaria buscar compreensão noutro lado qualquer…
O final da obra e que nos faz descobrir mais uma razão para a aversão de Leopoldo à leitura também me defraudou… Levou a que reagisse com um bom franzir do sobrolho e me apetecesse exclamar – “Então é por isso?...” Bah… Uma autora tão conceituada como Susanna Tamaro poderia ter feito bem melhor. A justificação à aversão é demasiado prosaica para que mesmo o público-alvo da obra se sinta satisfeito.
Concluo dizendo que foi, como já devem ter compreendido, uma leitura pouco produtiva. É verdade que nem tudo é negativo na obra. A relação que nasce entre Leopoldo e o velho cego e a correspondente ligação forte entre os dois e as histórias e os livros são uma lufada de ar fresco e de alegria, mas foram “esmagadas” perante a sensação de frustração e alguma revolta que senti face ao que já expus. Sendo assim, não consigo recomendar-lhes que leiam esta obra…

NOTA – 05/10

Sinopse

No dia em que Leopoldo fez oito anos, os pais ofereceram-lhe dois livros, tal como acontecia em todos os aniversários desde que tinha nascido! Leopoldo sentiu-se tão triste e infeliz... não gostava mesmo nada de ler. Sempre que tentava fazê-lo, as letras começavam a misturar-se umas nas outras numa grande confusão de rabiscos pretos sem qualquer significado. Mas os pais não entendiam o seu problema e insistiam tanto para que ele lesse que um dia Leopoldo decide fugir de casa! É então que conhece alguém muito especial, um grande amigo, que descobre o que realmente se passa com ele e juntos começam a partilhar muitas e muitas páginas de aventuras, sonhos e fantasia...

4 comentários:

  1. Olá Ana
    Infelizmente não consigo gostar muito dos livros da autora. Li dois quando era pequena (já nem me lembro dos títulos, que vergonha) e nenhum deles me agradou.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Sara! É bom ver-te por aqui de novo :)
      Compreendo-te muito bem, Susanna Tamaro não figura mesmo na lista das autoras mais apreciadas por estas bandas... Não devo esquecer-me disso tão cedo...
      Beijinhos e venham leituras bem melhores!

      Eliminar
  2. Olá Ana,
    Que pena que este livro não te conquistou! É um pouco desmotivante, mas que venham outras leituras!
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Isa!
      Sim, é verdade, não me conquistou... acho que serviu para provar que Susanna Tamaro e eu não somos "grandes amigas" ;)
      Entretanto, já esqueci a frustração com a leitura que se lhe seguiu, pois essa sim, encheu-me todas as medidas :)
      Beijinhos e leituras muito saborosas!

      Eliminar